quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Dulce Pontes - Canção do Mar

Carlos Paiao - Cinderela

Sara Tavares - Longe Do Mundo

Longe de ti Império dos Sentados

Michael Jackson - They Don't Care About Us

Michael Jackson - Heal The World

Michael Jackson - Earth Song

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Ana Malhoa - Antao e Natal

Celine Dion - So This Is Christmas (Eng. Subs)

Mariah Carey - All I Want For Christmas Is You

Então é Natal !.Padre Marcelo Rossi (voz)

Coro Santo Amaro de Oeiras - A Todos Um Bom Natal

Esclarecimentos Oportunos 008 - O Significado do Natal para o Espiritismo

O Natal na visão espirita, com Anete guimarães!!

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Sônia Emily




A ÁGUA FLUIDIFICADA E O EVANGELHO NO LAR

A ÁGUA FLUIDIFICADA E O EVANGELHO NO LAR

O estudo do evangelho no Lar é uma prática utilizada por nós espíritas seguindo a orientação de nosso Senhor Jesus que disse, que quando dois ou mais estiverem reunidos em nome Dele ali Ele estaria. Durante o evangelho é comum a utilização uma jarra de água para a fluidificação. 

Todavia, alguns confrades equivocadamente aconselham que não se deva utilizar a água fluidificada, com o argumento de que entidades inferiores podem contaminar a água com fluidos grosseiros.

O argumento não procede, uma vez que durante o evangelho existe a presença dos mentores espirituais responsáveis pela proteção e equilíbrio do ambiente e também da seleção das entidades que podem adentrar o espaço familiar e que necessitam ouvir a leitura, os comentários e principalmente, que já estejam em condições de assimilar com proveito o que será estudado.

Esse tipo de entidade é geralmente barrada no momento do estudo do evangelho, salvo em casos de extrema necessidade para a entidade e o grupo familiar. Nesse caso, são tomadas medidas especificas pelas entidades mentoras.

Percebemos assim, a importância do estudo evangélico no lar e a proteção espiritual que ele traz.

Mas, voltando a água fluidificada, se ainda existirem dúvidas quanto a sua utilização há uma medida simples que pode ser adotada, tampar a jarra ou cobri-la com uma flanela, pode-se também utilizar uma garrafa de agua mineral com tampa. Os espíritos superiores transferem fluidos salutares para a água da jarra ou garrafa mesmo estando tampada, porque suas energias são tão sutis que atravessam qualquer objeto material. Já os fluidos dos espíritos inferiores são grosseiros, densos e não conseguem atravessar a matéria.

Lembrando que a água fluidificada durante o evangelho no lar pode ser servido ao final do estudo para todos, é de uso geral, ao contrário da água fluidificada no Centro Espirita que é individual e intransferível, contendo o nome completo da pessoa justamente para esse fim.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

"O Consolador", Ano 9 - N° 427 - 16 de Agosto de 2015 - Editorial



Como é bom ser espírita!

Têm sido uma tônica nas inúmeras entrevistas publicadas nesta revista frases como a que dá título a este texto. 

Um jovem ainda iniciante nos estudos do Espiritismo disse a um dos nossos colaboradores algo parecido. Segundo ele, o Espiritismo é bom porque nos apresenta explicações para fatos importantes que não encontramos em outras filosofias, religiões ou doutrinas.

Com efeito, a busca da verdade é, além de preocupação comum a todas as pessoas, uma aspiração legítima, fato que não passou despercebido a Jesus, como registrado pelo evangelista João:

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João, 8:32)

Perguntaram certa vez a D. Guiomar Albanesi, fundadora do Centro Espírita Perseverança, de São Paulo (SP), qual seria, na opinião dela, a dor maior, a dor mais profunda, a dor mais sentida pelas criaturas humanas.

Para surpresa de quem lhe fez tal pergunta, D. Guiomar respondeu que, baseada em sua experiência no trato com tantas pessoas, não existe uma dor maior, uma dor mais profunda, uma dor mais sentida. Para quem está sofrendo, toda dor é relevante e é profunda.

O que mais incomoda a criatura humana não seria, então, a dor em si, mas suas causas. “Por que sofremos? Por que a vicissitude se abateu sobre o nosso lar? Por que enfrentamos tantas dificuldades?” – eis o que importa saber e é o que as pessoas procuram compreender quando enfrentam situações assim.

Sabemos que muitas pessoas batem ou bateram à porta de uma instituição espírita exatamente por isso.

Claro que a dor não se extingue com as explicações recebidas, mas, evidentemente, quando nos inteiramos acerca de suas causas, nós nos fortalecemos e passamos a confiar ainda mais na Providência e na Justiça Divina, que jamais falha.

É nesse sentido que se compreende a profundidade do ensinamento dado por Jesus e anotado pelo apóstolo João.

A verdade nos liberta. Liberta de quê? – alguém perguntará.

Liberta-nos da descrença, da lamentação indevida, do desalento, do erro, do pecado.

Há quem diga que a religião constitui, em verdade, um freio. Que bom! Sobretudo se for um freio que nos impeça de matar, de roubar, de mentir, de faltar aos nossos compromissos, de nos apropriar do dinheiro público, como tantos têm feito, apesar de exteriormente valer-se do rótulo de cristãos.

domingo, 11 de outubro de 2015

Pedro Abrunhosa - Momento

GNR - Dunas

Rio Grande - Postal dos Correios ( legendado )

Solta-se um beijo - Sara Tavares e Ala dos namorados - legendado

Per7ume - Intervalo (part especial de Rui Veloso)

JoãO PedrO Pais - MenTira

Longe de ti ( Império dos sentados) letra .wmv

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Tipos de Mediunidade ( Balbino Amaral )







Tipos de Mediunidade

Quanto aos tipos, a mediunidade pode ser classificada em:
Mediunidade de efeitos físicos e mediunidade de efeitos inteligentes.
Mediunidade de Efeitos Físicos
É aquela em que a ação dos Espíritos produz efeitos na matéria. Estes fenômenos sensibilizam diretamente os órgãos dos sentidos dos observadores. Por isto, esses fenômenos são também chamados de materiais ou objetivos.
Podemos classificá-los desta maneira:
Sonoros: Vão desde os simples “raps” (pancadas secas) até os estrondos, passando pelos fenômenos em que é produzida música, sem haver instrumentos no local.
Quando podemos formar com estes efeitos sonoros uma linguagem através de códigos, temos a tiptologia que, por sua vez, pode ser:
Interior: Pancadas produzidas no interior do objeto, sem movimento externo.
Bascular: Com movimento de objeto para dar as pancadas, por exemplo, mesa que bate com um dos pés.
Alfabética: Quando as pancadas produzidas mostram a letra desejada do alfabeto.
Sematologia: Quando as luzes, os sons ou o movimento dos objetos deixam transparecer uma vontade ou intenção ou um determinado sentimento.
Luminosos: Produção de centelhas, clarões e luzes.
Motores: Movimentação de corpos inertes, sem qualquer contato físico ou outro meio material. Nesta categoria de fenômenos, destacam-se:
– Levitação: Um ser ou objeto é suspenso no ar, aparentemente contrariando a lei da gravidade.
– Transporte: Quando um ser ou objeto é levado de um local para outro.
– Materialização: Formação (parcial ou total) de coisas ou corpos. Normalmente são temporárias.
– Transfiguração: É a modificação dos traços fisionômicos do médium ou do seu aspecto geral.
– Voz Direta: Produção de sons correspondentes à voz humana, articulada e audível por todos os presentes.
– Escrita Direta: Trata-se da produção de escrita sem o concurso de mãos humanas.
Mediunidade de Efeitos Inteligentes
Estes efeitos são também chamados intelectuais ou subjetivos, porque os fenômenos ocorrem na esfera subjetiva do médium. Desta forma, não ferindo os cinco sentidos do médium, não são todos que os percebem.
Podemos dividi-la em:
Intuitiva: Quando o médium percebe a realidade do plano espiritual ou pensamentos dos Espíritos, mas somente pela intuição.
Vidência: Permite aos médiuns ver os Espíritos. Uns gozam desta faculdade em estado normal, ou seja, de vigília, outros só a possuem em estado de sonambulismo.
Audiência: É a faculdade de ouvir a “voz” dos Espíritos.
Psicometria: Através deste tipo de mediunidade, o médium consegue, pela captação da energia impregnada nos objetos, informações históricas dos seres ligados a este objeto ou dos próprios objetos.
Psicofonia: O Espírito fala, usando o aparelho físico do médium. Este, por sua vez, transmite as comunicações de forma mais ou menos consciente, de acordo com a categoria de sua mediunidade. Queremos sempre lembrar que não há incorporação do Espírito, mas que esse age sobre a corrente nervosa do médium.
Psicografia: É a mediunidade que permite ao médium escrever sob a influência do Espírito. Através deste método, os Espíritos revelam melhor sua natureza e o grau de aperfeiçoamento, ou da sua inferioridade.
Podemos classificá-la desta forma:
Mecânica: O médium age em um certo grau de inconsciência, que é como se o Espírito dirigisse a sua mão, independente da sua vontade. No entanto, o médium permanece vigilante em Espírito durante a comunicação, podendo retomar o controle de suas faculdades no momento que lhe aprouver.
Semi-Mecânica: O médium sente que a sua mão é impulsionada pelo Espírito, mas tem consciência do que escreve, à medida que as palavras são formadas, e o controle é maior de sua parte.
Intuitiva: Como o próprio nome diz, é uma comunicação intuitiva. O Espírito não atua sobre a mão do médium, mas sobre a sua alma. Esta dirige a sua mão, que por sua vez dirige o lápis.
Livro: Apostila do Curso de Espiritismo e Evangelho
Centro Espírita Amor e Caridade – Goiânia – GO – 1997
Site: http://www.autoresespiritasclassicos.com/

QUEM É JESUS ? ( Balbino Amaral )



QUEM É JESUS?



Quem foi Jesus, este homem cuja existência causou impacto tão grande na humanidade, a ponto de dividir-se a história em antes e depois do seu nascimento?
Inclusos na Bíblia temos quatro evangelhos, chamados canônicos, atribuídos a Marcos, Mateus, Lucas e João. Será que estes evangelhos podem nos dar um fiel retrato de quem foi e o que ensinava Jesus? Ou seja, será que neles podemos encontrar o Jesus histórico?
Comparando os evangelhos, podemos verificar que existem várias diferenças entre eles. Por exemplo, no episódio do nascimento de Jesus, Mateus fala da visita e três reis magos ao local de nascimento. Já Lucas menciona a visita de pastores. Mateus nada fala dos pastores, enquanto que Lucas não cita os três reis magos. Qual deles visitou o Jesus recém-nascido? Os reis magos, os pastores, ou todos eles? Marcos e João não falam do nascimento do Cristo, começando pelo batismo no rio Jordão, chamando-o de Jesus de Nazaré. Já Mateus e Lucas dizem que Jesus Nasceu em Belém. Afinal, onde o nascimento se deu, Belém ou Nazaré? Há, nos evangelhos, três versões para as últimas palavras de Jesus, durante a crucificação: em João: “está consumado”. Em Mateus e Marcos: “Meu Deus, Meu Deus, por que me abandonaste?”, um verso dos Salmos. Em Lucas: “Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”, outro verso dos Salmos. Que frase teria sido dita? Todas, ou apenas uma delas?
As pesquisas sobre o Jesus histórico existem desde o século XVIII. Baseados nas diferenças supracitadas, os estudiosos concluíram que os escritores dos evangelhos deixaram que seus pontos de vista se impusessem sobre os de Jesus, e que o verdadeiro Jesus pode ter sido ocultado no decorrer dos séculos.
Onde estão os originais do novo testamento, que foi escrito nos séculos I e II? Existem apenas alguns fragmentos do evangelho de João, datado do ano 125, e outro, mais completo, do ano 200. O que temos são cópias das cópias das cópias, e em grego antigo, que não é a língua original dos apóstolos, supostos escritores. O número delas, atualmente, chega a mais de cinco mil. Além disso, as cópias existentes são bastante contraditórias entre si, com claros sinais de adulteração pelos copistas (monges e escribas, que executavam este trabalho manualmente), seja acidental ou intencionalmente, para favorecer a interpretação desta ou daquela corrente ideológica, uma vez que é sabido que, no início, existiram vários cristianismos. Como exemplos de correntes cristãs primitivas, temos os ebionitas, os marcionitas, os gnósticos, os cátaros, os borgomitas e aqueles que podemos chamar de ortodoxos, dos quais originou-se a atual igreja Católica.
Após a análise dos manuscritos existentes, os estudiosos chegaram à conclusão de que o novo testamento não está isento de erros, uma vez que são freqüentes as contradições entre as cópias. Não é possível traçar-se um retrato fiel de Jesus a partir dos evangelhos, devido a essas diferenças. Por exemplo, temos o caso do Codex Sinaiticus, cujo ano da cópia é em torno de 340. Nela, um leproso pede para Jesus curá-lo, e ele “irritado, estendeu sua mão, tocou-o e disse: ‘Eu o farei; sede curado.’” Cópia posterior alterou “irritado” para “com grande compaixão”, demonstrando uma possível tentativa de negar as emoções humanas de Jesus.

Nem historiadores, nem testemunhas, nem entrevistadores das testemunhas. Esta foi a conclusão dos estudiosos sobre os autores dos evangelhos, e que estes foram escritos por volta de 46 anos após a crucificação de Jesus. Concluíram também, a partir dos próprios evangelhos, que Jesus não nasceu em Belém, nasceu de forma natural, e que os detalhes milagrosos do seu nascimento foram inventados. O nascimento em Belém, por exemplo, foi incluído pelos cristãos primitivos para ajustá-lo à previsão do profeta Miquéias (VIII a.C.), que disse que o Messias sairia de Belém.
Os pesquisadores, então, deixaram de lado as narrativas dos evangelhos e começaram a analisar as palavras supostamente ditas por Jesus, tentando encontrar a estrutura primitiva, base dos textos. Após realizarem uma comparação entre os evangelhos, verificando diferenças e semelhanças, eles viram que os escritores se basearam em fontes primitivas dos ditos de Jesus, dando-lhes contextos e interpretações diversas. Estas fontes eram baseadas na tradição oral e provavelmente escritas em torno de vinte anos após a morte de Jesus. Os autores dos evangelhos, segundo os estudiosos, não eram os verdadeiros apóstolos, mas pessoas que viveram numa época bem posterior à deles, procurando dar autenticidade a seus escritos utilizando-se destes nomes, prática bastante comum na época.
Concluíram também que Mateus e Lucas foram copiados de Marcos (o primeiro evangelho canônico a ser escrito) e de uma fonte não identificada, chamada de “Q”, de Quelle, que em alemão significa fonte. A fonte “Q”, que seria estruturada em ditos de Jesus e não narrativas, no entanto, jamais foi localizada.
No ano de 1945, na cidade de Nag Hammadi, Egito, num velho cemitério, lavradores encontraram alguns potes de barro contendo manuscritos em caracteres copta, um tipo de escrita egípcia que utilizava o alfabeto grego. Estavam escritos em folhas de papiros encadernadas em couro. Uma parte desses manuscritos foi utilizada pelos colonos para acender o fogo; outra parte foi vendida, parando no museu copta do Cairo, onde foram guardados durante onze anos. Posteriormente, peritos examinaram estes manuscritos e descobriram que se tratava de três textos, intitulados: o Livro Secreto de João, o Evangelho de Tomé e o Evangelho de Felipe.Os estudiosos concluíram que as cópias eram do século IV, de um monastério cristão próximo ao local em que foram encontrados. Alguns deles concluíram que os monges enterraram estes manuscritos porque o arcebispo Atanásio, da igreja cristã primitiva ortodoxa, determinou a eliminação de todas as obras que fossem consideradas heréticas. Outros, que os manuscritos pertenciam a cristãos gnósticos heréticos que viviam na região.
É fato bastante conhecido que a igreja ortodoxa perseguiu duramente as chamadas heresias, que nada mais eram do que pensamentos divergentes do que ela pregava.
O Evangelho de Tomé era composto por 114 citações começando pela frase: “Jesus disse”, sendo uma coletânea de citações sem nenhuma narrativa, precisamente como os estudiosos dos evangelhos imaginavam que seria a fonte “Q”, supracitada. muitas das citações eram semelhantes às de Marcos, Lucas e Mateus, e cinco delas às de João.
Interessante é constatar que os estudiosos já possuíam fragmentos de Tomé em grego, escritos no século I, que foram localizados em fins do século IX, num depósito de lixo na cidade de Oxirrina, Egito. Dessa forma, chegou-se à conclusão que Tomé era mais antigo que Mateus, Lucas e João, e quase da mesma época que Marcos. Além disso, sua estrutura, que era mais simples, não apresentando elaborações nem interpretações, parecia ser mais primitivo que os demais evangelhos.
Os estudiosos americanos concluíram que Tomé era mais antigo que os demais evangelhos e da mesma época que Marcos, enquanto os europeus achavam que ele era posterior.
Quando se faz uma comparação entre Tomé e os demais evangelhos, verificamos que ocorreram alterações e interpretações das palavras de Jesus. Por exemplo, temos a parábola da vinha, onde uma pessoa plantou e a arrendou, indo embora. Sempre, porém, enviava servos para cobrar o aluguel, que eram agredidos pelos lavradores, pois estes não queriam pagar. Na quarta vez mandou seu filho, que foi morto pelos lavradores para ficar com a herança. Em Tomé, não há interpretação para a parábola. Contudo, em Marcos, Mateus e Lucas, tentou-se fazer um paralelo com a rejeição dos judeus ao filho de Deus. Em Marcos, há um comentário de Jesus: “Que fará, pois, o Senhor da vinha? Virá, e destruirá os lavradores, e dará a vinha a outros.” Algo semelhante ocorre em Lucas e Mateus. A maior parte dos estudiosos acredita que os escritores queriam dar a entender que os lavradores eram os judeus, que perderam o direito à aliança, que, no caso da parábola, era a vinha. Por isso, a mesma era passada a outros, os cristãos.
Muitos estudiosos de Tomé acreditam que a simplicidade do mesmo é uma prova de que ele foi escrito antes dos quatro evangelhos canônicos. Com base em Tomé e outros escritos gnósticos primitivos, eles chegaram à conclusão de que as lições de Jesus tiveram diferentes interpretações por diversos grupos de seguidores. Em Mateus, por exemplo, demonstra-se uma interpretação apocalíptica e messiânica.
Diante do exposto, chega-se facilmente à conclusão de que o ponto de vista ortodoxo, desenvolvido ao longo dos últimos dois mil anos, não é melhor do que a visão gnóstica apresentada pelo Evangelho de Tomé. Esta, como vimos, pode até ter servido de base, e depois adulterada, como vimos acima. Muito provavelmente é a que mais se aproxima do verdadeiro pensamento do Cristo.
A grande quantidade de manipulações (acréscimo, subtração e distorção de trechos e palavras, além de traduções tendenciosas) que sofreu o novo testamento ao longo da história, motivadas por interesses vários, nos faz fazer a seguinte pergunta: como tentar nos aproximar da verdadeira mensagem de Jesus? Para separar o joio do trigo, é necessária uma chave. E qual seria ela?
A Doutrina Espírita, que surgiu do estudo de fenômenos que não se encaixam nas leis naturais conhecidas pela ciência oficial (Ver o texto “Por que ser espírita?”, neste blog), não se baseou na Bíblia para formular os seus postulados, mas vai ao seu encontro, pois concorda com ela em vários pontos. Aliás, explica várias passagens que, até então, permaneciam obscuras.
A reencarnação, por exemplo, fazia parte da crença dos cátaros, dos borgomitas e dos gnósticos.
No Evangelho de Tomé, na citação nº 108, temos:
“Disse Jesus: quem beber da minha boca tornar-se-á como eu. E eu serei o que ele é. E as coisas ocultas lhe serão reveladas.”
A citação acima é 100% concordante com o Espiritismo. Afinal, este considera Jesus não como sendo Deus, mas como um irmão mais velho, mais experiente, que veio nos ensinar o caminho de chegar até ele, que já está em comunhão com o Pai. Aliás, podemos dizer que é o evangelho que mais se aproxima dos postulados espíritas.
Na citação nº 113, temos:
“Os discípulos perguntaram-lhe: em que dia vem o reino? Jesus respondeu: não vem pelo fato de alguém esperar por ele; nem se pode dizer, ei-lo aqui! Ei-lo acolá! O Reino está presente no mundo inteiro, mas os homens não o enxergam.”
Aqui podemos claramente visualizar o conceito de céu como um estado de consciência. Estarermos no céu ou no inferno conforme sintonizamos o nosso Espírito.
Na pergunta Nº 625 de “O Livro dos Espíritos”, lemos:
“Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo?”
Resposta: “Jesus”
Em seu livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Allan Kardec reuniu trechos do Novo Testamento que podem constituir, por assim dizer, um Código de Moral Universal, sem distinção de culto. Para completar cada ensinamento, reuniu algumas instruções escolhidas entre as que foram ditadas pelos Espíritos em diversos países, por intermédio de diferentes médiuns, para evitar, dessa forma, a influência pessoal do meio, provando que os Espíritos dão seus ensinamentos em todos os lugares, constituindo, assim, diversas fontes coincidentes em conteúdo.
Em Mateus, 5 : 44, 46 a 48, diz Jesus: “Amai os vossos inimigos; fazei o bem àqueles que vos odeiam e orai por aqueles que vos perseguem e vos caluniam; pois, se amais apenas àqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os publicanos também não fazem isso? E se apenas saudardes vossos irmãos, o que fazeis mais que os outros? Os pagãos não fazem o mesmo? Sede, pois perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito.”
Em Mateus, 22 : 34 a 40, consta: “Os fariseus, ao ouvirem que Jesus havia feito os saduceus se calarem, reuniram-se; e um deles, que era doutor da lei, perguntou-Lhe para tentá-Lo: Mestre, qual é o maior mandamento? Jesus lhe respondeu: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito. Este é o maior e o primeiro mandamento. E eis o segundo, que é semelhante àquele: Amarás teu próximo como a ti mesmo. Toda a lei e os profetas estão contidos nestes dois mandamentos.
Perguntamos: será que nós, pessoas que, de uma forma geral, somos cheios de defeitos, principalmente egoísmo, em apenas uma vida poderíamos chegar à perfeição, a ponto de amar o nosso próximo como a nós mesmos? Quantos não vivem apenas, por exemplo, 19 anos, e mesmo que vivêssemos 100, será que conseguiríamos? Com certeza não. Temos notícias de pessoas que se sacrificaram pelo seu semelhante, como irmã Dulce, Madre Tereza de Calcutá, Mahatma Gandhi, Chico Xavier , etc., mas são raridades no nossos mundo, muito admirados justamente porque foram capazes de fazer, durante toda uma vida, o que a maioria acha impraticável. Com certeza, estas pessoas beneméritas tiveram que passar por várias existências para que, desapegadas da matéria e do egoísmo, tivessem a experiência necessária para encontrarem em seus corações o grande prazer que é fazer o bem. Tiveram que passar pela reencarnação.
Assim, conforme a Doutrina Espírita, Jesus é nosso irmão maior, que chegou a tal patamar que lhe permite nos ajudar com sua sabedoria, recebendo as ordens diretas do Pai. Para isso, como todos os Espíritos, teve que passar por inúmeras encarnações para desenvolver sua inteligência e maturidade moral, chegando ao enorme nível espiritual que se encontra hoje. Conforme o espírito Emmanuel, pela psicografia do médium Chico Xavier, ele também é responsável pelo governo do nosso planeta, tendo presidido, inclusive, a formação do mesmo. Deixou sua mensagem há dois mil anos, mas que nos serve, até hoje, como luz na escuridão. É nosso guia e modelo, pois devemos, a cada dia, tentar nos aproximar daquilo que ele é, embora essa tarefa tenha que levar milênios. Contudo, devemos lembrar que, para levantarmos uma casa, precisamos colocar o primeiro tijolo, depois o segundo, e assim por diante, conforme o nosso ritmo e possibilidades.

Fábio José Lourenço Bezerra

Este texto continua em "Quem é Jesus? Parte 2 - Jesus é Deus?", neste blog.

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

1 KARDEC, ALLAN. O Livro dos Espíritos. Rio de Janeiro : Editora FEB,1995.;
2________________.O Evangelho Segundo o Espiritismo. São Paulo : Editora Petit, 1997.;
3________________.A Gênese: Os milagres e as predições segundo o Espiritismo. Rio de Janeiro: Editora FEB, 1988;
4 SANTOS, Dalmo Duque dos. Nova História do Espiritismo: dos precursores de Kardec a Chico Xavier.São Paulo: Ed. do conhecimento, 2010;
5 EHRMAN, Bart D. Evangelhos Perdidos. Rio de janeiro: Editora Record, 2008;
6______________.O Que Jesus Disse? O Que Jesus Não Disse?: quem mudou a Bíblia e porque. São Paulo: Editora Prestígio, 2006;
7______________.Quem Jesus Foi? Quem Jesus Não Foi? : mais revelações inéditas sobre as contradições da Bíblia. Rio de Janeiro: Ediouro, 2010;
8 ______________.O Problema Com Deus: as respostas que a Bíblia não dá ao sofrimento. Rio de Janeiro, Editora Agir, 2008;
9 RANGEL, Liszt. Arqueologia dos Evangelhos: uma releitura histórica do pensamento de Jesus. Recife: Editora Bom Livro, 2009.
10 SILVA, Severino Celestino da. Analisando as Traduções Bíblicas: refletindo a essência da mensagem bíblica. João Pessoa: Editora Núcleo Espírita Bom Samaritano, 2000
11 PROPHET, Elizabeth Clare e PROPHET, Erin L.Reencarnação: o elo perdido do cristianismo. Rio de janeiro: Editora Nova Era, 2003.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Maria Fernanda Sousa



Vale a pena pensar nisto……………
As emoções negativas causam doenças e envelhecimento prematuro!
Emoções fortes como dor, medo, tristeza, decepção, pânico, ansiedade, raiva e saudade, provocam choques no seu corpo como uma descarga eléctrica, deixando cicatrizes ou lesões ao longo das suas vias neurais. Isso bloqueia o fluxo de energia natural do seu corpo.
Segundo o Dr. David Suzuki, as moléculas darespiração exaladas por expressões verbais de raiva, ódio e ciúme, contêm toxinas. Acumuladas ao longo de uma hora, estas toxinas são o suficiente para matar 80 cobaias! A raiva prejudica o fígado e vesícula biliar. Raiva contra outra pessoa é como tomar veneno e esperar que outra pessoa morra!
Reter ou negar as suas emoções não ajuda. A própria natureza da energia é movimento. Quando tenta controlar os seus sentimentos, a sua energia não pode fluir para fora correctamente e assim se dissipar naturalmente. Você pode pensar que conseguiu controlar a energia dessas emoções, mas na verdade ela continua a “trabalhar” no seu corpo.
Para suprimir emoções é preciso utilizar uma grande quantidade de energia do corpo, que por sua vez não vai ser utilizada, como devia, para as funções vitais. As emoções negativas sobrecarregam as suas glândulas supra-renais e utilizam os nutrientes que o corpo precisa para se sustentar. O resultado é a vitalidade reduzido e consequente fadiga.
A Energia tem de se mover. Se uma emoção não é expressa (movimento para o exterior), é suprimida (movimento para o interior). O resultado do controle dessa emoção é a frustração, raiva, depressão, dor física, problemas de controle emocional, levam ao "shut-down", ou auto-sabotagem. Podem também desenvolver a auto-julgamento, baixa auto-estima e isso inibe a sua capacidade de criar ou receber o que você realmente quer e merece na vida.
Com tudo isto acaba por aprender a esperar pouco da alegria da vida e a se contentar com menos do que a sua alma precisa para prosperar.

PENSE NISTO



O que é uma Egrégora?

Egrégora é uma forma pensamento que é criada por pensamentos e sentimentos, que adquire vida e que é alimentada pelas mentalizações e energias psíquicas. É uma entidade autônoma que se forma pela persistência e intensidade de correntes emocionais e mentais. Pensamentos e sentimentos fracos criam egrégoras mal definidos e de pouca vida ou duração, porém pensamentos e sentimentos fortes criam egrégoras poderosíssimos e de longa duração.

Existem egrégoras positivos que protegem, atraem boas energias e afastam cargas negativas, e egrégoras negativos que fortalecem o mal, canalizam forças negativas e repelem forças positivas. O egrégora pode ser coletivo ou pessoal.

Locais sagrados como Aparecida, Lourdes e Fátima, têm egrégoras poderosíssimos, formados pela fé e mentalizações dos devotos, que acumulam as energias psíquicas dos fiéis, e quando alguém consegue canalizar para si as energias psíquicas acumuladas no egrégora, provoca o conhecido milagre. Esta é a explicação oculta da realização de grande parte dos milagres que acontecem. Os locais possuem egrégoras formados pelas energias psíquicas de seus freqüentadores.

O egrégora pessoal é formado pelas energias psíquicas da pessoa e principalmente pelos seus pensamentos. Assim, uma pessoa psiquicamente equilibrada e com pensamentos positivos, cria um egrégora positivo. Do mesmo modo, uma pessoa desequilibrada emocionalmente e negativa cria um egrégora negativo.

Nossa alma, nosso psico-mental agregado ao nosso corpo físico, está sujeito a esta mesma lei. Uma alma boa, alegre e positiva atrai mais alegria felicidade e sorte. Uma alma rancorosa, triste e negativa, por outro lado, atrai mais rancor, tristeza, sofrimento e azar. Observe os acontecimentos na vida: desgraça pouca é bobagem, uma desgraça atrai outra desgraça em seguida; uma pessoa negativa só atrai pessoas problemáticas; para quem é realmente positivo tudo dá certo; dinheiro atrai dinheiro; amor atrai amor, quando amamos alguém mais pessoas aparecem atraídas pelo nosso amor; azar atrai mais azar, intrigas mais intrigas, brigas mais brigas, e assim por diante. Nós possuímos dentro de nós o dínamo gerador de todas nossas alegrias e tristezas, a mente.

A mente é o limite de nossas possibilidades, poderemos ser o que a mente determinar que sejamos. Poderemos ter saúde, alegria, felicidade, sorte e amor, basta usar o poder da mente. Nós somos primeiro o que pensamos ser, e depois o que sentimos e o que agimos na vida. Esta é a chave que abre as portas para uma vida plena de sucessos e evolução.

Nós somos o que nós pensamos, e um pensamento positivo cria um egrégora positivo, que aliado ao egrégora, atrai forças positivas que ajudam no dia a dia, no aperfeiçoamento pessoal, social e profissional. Gradativamente nosso destino é mudado para melhor pela transformação pessoal, e o que falamos ou desejamos como mérito e direito passa a acontecer, e assim, nossos objetivos são sempre conseguidos. Saúde, emprego, felicidade, equilíbrio, paz, sucesso, amor, entre outros, são objetivos perfeitamente atingíveis, se criarmos um egrégora forte e se nossa mente realmente conduzir o processo com todo o seu potencial.

Prof. Adhemar Ramos

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Sorrisos de Luz



Pára. Pára de voar sem saberes para onde nem porquê. Olha para o teu heart emoticon e abre-o. Sente quem és e o que vieste fazer à terra. Abre o heart emoticon e religa-te ao que sentes. Começa a ouvir a tua intuição e só depois age. Toma consciência de quem és e toma a liberdade de ser o que vieste Ser. Voa rumo à liberdade e vais ver que tudo se torna claro, tudo se torna mágico, tudo se transforma em Luz. heart emoticon

Sorrisos de Luz



Inspira Amor e expira Gratidão! heart emoticon E sente que o magnífico Universo está contigo! heart emoticon

heart emoticon Namasté heart emoticon

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Xamãs Urbanos



***ENERGIA***

Pensamos muito em energia como algo externo, como a manifestação cósmica etc., mas também somos energia. Nossa consciência, nosso corpo, nosso pensamento, nossas emoções, tudo em nós é energia, em movimento ou estagnação.
Quando foi a última vez que você parou para sentir sua própria energia? Quando foi a última vez que você parou para limpar sua própria energia? Quando foi a última vez que você parou para direcionar sua própria energia?
Acumulamos e dispendemos energia o tempo todo. Acumulamos esta e gastamos aquela, sobrecarregamos aqui e exaurimos ali. Algumas energias precisam ser mais movimentadas, outras precisam ser desaceleradas; umas precisam ser esvaziadas, outras acumuladas. E tudo isto nos dá mais consciência a respeito de nós mesmos, da forma como temos vivido, pensado, agido, sentido. Do que nossa mente e nossas emoções têm feito. Do que que estamos fazendo com nosso corpo. Tudo isso facilita também nosso crescimento à medida que nos dá mais consciência sobre nós. E nos predispõe mais ao alinhamento com as energias que nos beneficiam, tanto quanto nos afasta mais das que nos prejudicam, por uma simples questão de sintonia.

Abençoados Sejam, seres de energia!
Corvo Negro.
 — com Xamãs Urbanos

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

ESPÍRITAS

Deva Shabdam Janete





OS TRÊS PEDIDOS FINAIS

Antes de morrer Alexandre, o Grande, fez três pedidos aos seus ministros:

1) Que seu caixão fosse carregado pelos melhores médicos da época.
2) Que os tesouros que tinha, fossem espalhados pelo caminho até seu tumulo.
3) Que suas mãos ficassem fora do caixão e a vista de todos.

Os ministros surpresos perguntaram quais são os motivos?
Ele respondeu:

1) Eu quero que os melhores médicos carreguem meu caixão, para mostrar que eles não têm poder nenhum sobre a morte.
2) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros, para que todos possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui ficam.
3) Eu quero que minhas mãos fiquem para fora do caixão, de modo que as pessoas possam ver que viemos com as mãos vazias, e de mãos vazias voltaremos.

sábado, 18 de julho de 2015

BEIJOS DE LUZ SEMPRE

Martin Luther King

ADORO AZUL

BEIJOS DE LUZ

BEIJOS DE LUZ

BEIJOS DE LUZ

SEJA LUZ Márcia Gribel

Francis Joseph



HERANÇAS

Uma questão que deixa muita gente intrigada é a semelhança psicológica que existe entre membros da mesma família.

As parecenças físicas estão bem explicadas pela genética. Mas, será que o espírito herda também, de seus pais, as características morais?

No diálogo de Jesus com Nicodemos, vamos encontrar a resposta clara para essas questões.

Jesus, respondendo ao doutor da lei diz: “O que nasceu da carne é carne, e o que nasceu do espírito é espírito.

Não te maravilhes de eu te dizer que é preciso nascer de novo. O espírito sopra onde quer, e tu ouves a sua voz, mas não sabes donde ele vem, nem para onde vai. Assim é todo aquele que é nascido do espírito.”(*)

Fica bem clara a distinção que Jesus faz entre o corpo e o espírito. A carne procede da carne, mas o espírito não sabemos de onde vem.

Mas então, como pode um filho, por exemplo, parecer tanto, moralmente, com o pai?

Existem leis que regem a vida, das quais ainda não temos o entendimento completo. Uma delas é a lei de afinidade. As pessoas se unem ou se reúnem por afinidade de tendências, de gostos, de objetivos.

Assim é que, só vão a um estádio aqueles que gostam de futebol, e que, nos bares, só encontraremos os que gostam de beber umas e outras.

Isso se dá também com os povos. A lei de afinidade os reúne em determinada região, considerando a predominância de suas características.

Dessa forma é que podemos perceber claramente as tendências de alguns povos, para a violência, ou para a paz, por exemplo.

É por ser o espírito um ser individual e indivisível que todas as tentativas de se reproduzir um ser igual ao outro será frustrada.

Podemos reproduzir a matéria, mas o espírito que a animará, terá características próprias.

Não é outro o motivo pelo qual filhos de gênios nascem com uma inteligência limitada e pessoas de inteligência mediana podem ter filhos prodígios.

Assim sendo, se os geneticistas levassem em conta os ensinos do Sábio de Nazaré, teriam resposta para muitas das questões que não se explicam somente pelas leis da genética.

Se levassem em conta que cada corpo que nasce é animado por um espírito imortal, que trás consigo experiências milenares, resolveriam muitas dúvidas a respeito das enfermidades, da genialidade, da idiotia, da precocidade, e de tantas outras particularidades das criaturas.

Existem crianças que nos primeiros meses de vida, lêem, escrevem, fazem contas, decoram nomes de países e suas capitais etc., sem que tenham herdado essas capacidades de seus pais. E a recíproca é verdadeira.

Em suma, importa que saibamos que o corpo procede do corpo, mas o espírito não procede do espírito.

Importa, também, saber que, se o corpo gerado tiver vida, há um espírito a animá-lo, e que terá características espirituais próprias, independente das de seus pais.

O que pode ocorrer, é que o mesmo espírito que animou o corpo do avô, por exemplo, estando já desencarnado, volte a renascer e animar o corpo do neto.

Isso faria com que parecesse ter herdado as características do avô, mas seria o próprio que voltou.

Você sabia?

Que o espírito se liga ao corpo no momento da concepção?

E que as necessidades do espírito reencarnante é que, pela lei de afinidade, impulsionam o óvulo e o espermatozóide que contenham a carga genética propícia às suas experiências no corpo físico?

Assim, se tiver que desenvolver um câncer, por exemplo, o óvulo será penetrado pelo espermatozóide com as informações genéticas capazes de formar um corpo predisposto à enfermidade.

Isso não quer dizer que desenvolverá o câncer, mas terá um organismo propenso para tal.

Equipe de Redação do Momento Espírita

(*)Jo. 3:8


Francis Joseph



RASTROS

Os que estudam a fauna e nesse estudo se esmeram, sabem reconhecer, identificar os animais pelos rastros que deixam em sua passagem: as pegadas, os dejetos, as construções ou a destruição.

Os homens, igualmente, por onde passam, deixam suas marcas.

Há os que realizam, felizes, viagens turísticas e vão marcando o caminho com o que não mais necessitam ou de que se serviram: latas, papéis, cascas de frutas. Tudo jogado pela janela do carro ou deixado na areia, no campo ou na montanha.

Itens que vão assinalando a sua passagem. Parece que, quais os meninos que temiam não encontrar o caminho de volta para casa, necessitam deixar marcas precisas pelo caminho, a fim de poderem retornar, em outro momento.

Quem segue atrás de pessoas que assim se portam, logo reconhece que aquelas não primam pela educação e que não se importam com mais ninguém que consigo mesmas.

São pessoas que vivem no mundo como se somente elas existissem, que não atentam para o bem-estar alheio, com o dia seguinte, com o local em que vivem.

São essas mesmas que não se preocupam em colaborar com a coleta seletiva do lixo, que não economizam água mesmo em épocas de crise de abastecimento.

Para essas, o fato de pagar pelo consumo lhes dá o direito de usufruir sem limites, sem pensarem se o que desperdiçam, fará falta a outras comunidades.

São criaturas que não têm consciência de que a Terra é um único e grande lar de uma só Humanidade. Pessoas que não pensam no amanhã, que não se preocupam com a sustentabilidade do planeta, com o mundo do futuro.

Mas existe um outro tipo de marcas que, igualmente, deixamos no mundo.

São as marcas morais. Não são visíveis senão para os que têm olhos de ver, os que veem o seu entorno e com ele se importam.

Essas marcas são determinadas pelo comportamento, a conduta.

Cada um de nós, onde se situe, impregna, com suas vibrações, o local. Por isso mesmo, alguns somos muito benquistos, outros, nem tanto.

Alguns somos prestativos, simpáticos, de tal forma que nossa ausência é sentida, por mínima que seja. É percebida a falta do nosso sorriso, da nossa graça, do nosso bom humor. E nos recordam, rememorando procederes e ações que nos caracterizam.

Assim, se desejamos marcar nosso caminho com pegadas luminosas, comecemos hoje o exercício da gentileza.

Um sorriso, um por favor, obrigado, podem ser o início. E nos tornemos mais prestativos, solidários, amigos.

Francisco de Assis deixou impregnada de vibrações positivas a Porciúncula. Até hoje, quem a visite, se aquieta espontaneamente, sentindo bem-estar.

A nós cabe a decisão de registrar nossa passagem com as coisas positivas ou negativas.

* * *

Deixemos nossas marcas de bondade nas alheias vidas para que, mesmo após nossa partida da Terra, elas prossigam apontando caminhos de segurança, iluminando a estrada.

Um gesto de bondade poderá estimular a muitos.

Nossa palavra afetuosa poderá sustentar quem se encontra abraçado ao desânimo.

Nossa fortaleza moral poderá se constituir em apoio a quem está prestes a soçobrar.

Hoje, enquanto aqui estamos, marquemos de forma indelével nossa passagem.

Amanhã, os que percorrerem as mesmas veredas, encontrarão pontos luminosos de esperança, otimismo, bem-estar.

Pensemos nisso desde hoje, desde agora.

Redação do Momento Espírita.

BEIJOS DE LUZ

BEIJOS DE LUZ




DEZ PASSOS PARA SE AMAR

1 - Parem com toda a crítica
- A crítica nunca muda coisa alguma. Recusem criticar-se.
Aceitem-se exatamente como vocês são. Todos mudam.
Quando vocês se criticam, suas mudanças são negativas.
Quando se aprovam, suas mudanças são positivas.

2 - Não se alarmem
- Parem de se aterrorizar com seus pensamentos.
Encontrem uma imagem mental que lhes dê prazer e imediatamente desviem os seus pensamentos para algo agradável.

3 - Sejam gentis, bondosos e pacientes –
tratem-se com paciência, gentileza e bondade.
Tratem-se como fariam com alguém a quem amassem.

4 - Sejam gentis com sua mente.
Odiar-se é somente odiar os seus próprios pensamentos.
Mudem gentilmente os seus pensamentos para pensamentos mais amorosos.

5 - Elogiem-se.
A autocrítica deprime o espírito interior.
A exaltação o edifica.
Afirmem a vocês mesmos como é apropriado o que estão fazendo com tudo.

6 - Apoiem-se.
Aproximem-se dos amigos e permitam com que eles os ajudem.
Ser forte é pedir por ajuda quando mais precisam.

7 - Sejam amorosos com seus pontos negativos -
Reconheçam que os criaram para satisfazer uma necessidade.
Agora estão encontrando novas maneiras positivas de preencherem estas necessidades.
Liberem os velhos padrões.

8 - Cuidem do seu corpo -
Aprendam sobre nutrição.
O que o seu corpo necessita para ter a energia e a vitalidade ideal?
Aprendam sobre exercícios.
Estimem o templo em que vocês vivem.

9 - Trabalho do Espelho
- Olhem dentro dos seus olhos frequentemente.
Expressem o sentido crescente do amor que sentem por vocês mesmos. Perdoem-se por tudo, enquanto se fitam no espelho.
Uma vez ao dia digam -
"Eu amo você" para vocês mesmos no espelho.

10- Façam-no Agora
- Não esperem até que vocês fiquem bem, percam peso ou recebam um novo emprego.
Comecem agora, façam o melhor que puderem.

Extraído do Livro "Criando uma Abordagem Positiva" por Louise Hay

Francis Joseph



"Não é o que nos acontece que importa, mas o modo como lidamos com a situação. Se a vida lhe der um limão, faça uma limonada. Se o limão estiver podre, plante as sementes a fim de ter mais limões. Ou use-os como fertilizantes."
Louise Hay

BEIJOS DE LUZ

Francis Joseph



A maior aventura de um ser humano é viajar,
E a maior viagem que alguém pode empreender
É para dentro de si mesmo.
E o modo mais emocionante de realizá-la é ler um livro,
Pois um livro revela que a vida é o maior de todos os livros,
Mas é pouco útil para quem não souber ler nas entrelinhas
E descobrir o que as palavras não disseram...
Augusto Cury

BEIJOS DE LUZ AMOR E MAGIA

Francis Joseph




Se amar fosse fácil...

Se amar fosse fácil, não haveria tanta gente amando mal, nem tanta gente mal amada.
Se amar fosse fácil, não haveria tanta fome, nem tantas guerras, nem gente sem sobrenome.
Se amar fosse fácil, não haveria crianças nas ruas sem ter ninguém, nem haveria orfanatos, porque as famílias serenas adotariam mais filhos, nem filhos mal concebidos, nem esposas mal amadas, nem mixês, nem prostitutas.
E nunca ninguém negaria o que jurou num altar, nem haveria divórcio e nem desquite, jamais...
Se amar fosse tão fácil, não haveria assaltantes e as mulheres gestantes não tirariam seu feto, nem haveria assassinos, nem preços exorbitantes nem os que ganham demais, nem os que ganham de menos.
Se amar fosse tão fácil nem soldados haveria, pois ninguém agrediria, no máximo ajudariam no combate ao cão feroz.
Mas o amor é sentimento que depende de um 'eu quero', seguido de um 'eu espero'; e a vontade é rebelde, o homem, um egoísta que maximiza seu 'eu' por isso, o amor é difícil.
Jesus Cristo não brincava quando nos mandou amar.
E, quando morreu amando deu a suprema lição.
Não se ama por ser fácil,
ama-se porque é preciso!
Padre Zezinho

Francis Joseph




Um dia a gente aprende

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos, e que presentes não são promessas.

E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se se expor por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam.
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam. Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tiradas de você muito depressa, por isso sempre deve deixar as pessoas que ama com palavras amorosas, pois pode ser a última vez que as vê.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, e nós somos responsáveis por nós mesmos.

Começa a aprender que não deve se comparar aos outros, mas com o melhor que se pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo; mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a se levantar.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

Você aprende que realmente pode suportar porque realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar...

by William Shakespeare.

Francis Joseph

Francis Joseph



"E Jesus vendo a multidão subiu num monte, e sentando-se, aproximaram-se dele os discípulos.
E abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:
Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.
Bem-aventurados os que tem fome e sede de Justiça, porque serão fartos.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão a Misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a face e Deus.
Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da Justiça, porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem, perseguirem e mentirem, dizendo todo mal contra vós por minha causa.
Exultai e alegrai-vos, porque é grande vosso galardão nos céus, porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós."